betsson

Mais de mil empresas recebem apoio do IEL para aumentar competitividade

O Programa de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores (PQF) do Instituto Euvaldo Lodi (IEL) é uma via de mão dupla

A Bosch desenvolve o programa com toda a cadeia de fornecedores no Brasil

Programa de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores (PQF) do Instituto Euvaldo Lodi (IEL)é uma via de mão dupla. Isso porque, a partir do PQF, grandes empresas ganham em competitividade e os fornecedores, por sua vez, aumentam as vendas. A iniciativa,  lançada em 2007, hoje está presente em 16 estados. 

O processo funciona assim: primeiro, o IEL identifica as empresas-âncoras, que são as compradoras, e faz visitas de sondagem. Depois, é feita uma listagem da cadeia produtiva e os fornecedores recebem um convite para participar do programa. A etapa seguinte é a análise das empresas a serem qualificadas, a partir de requisitos definidos pelas empresas-âncora. 

A qualificação pode ocorrer a partir de seminários técnicos coletivos ou por meio de consultorias individuais para cada fornecedor. O trabalho envolve as áreas de gestão estratégica, financeira e comercial, gestão da qualidade, saúde e segurança no trabalho, gestão do meio ambiente e responsabilidade social. 

CASO DE SUCESSO - Um exemplo bem sucedido do programa começou em 2013 com o grupo Bosch , em Campinas, no interior de São Paulo. A empresa atua no setor de produtos e serviços automotivos para montadoras e para o mercado de reposição, ferramentas elétricas, sistemas de segurança, termotecnologia, máquinas de embalagem e tecnologias industriais. 

“Dentro de uma realidade da indústria, existe uma série de questões que antecede a linha de produção. Questões financeiras, de recursos humanos, de liderança, e que são muito mais de gestão do que de produção. E esse é o papel do IEL, apoiar exatamente nesses temas de gestão”, diz o gerente de Desenvolvimento de Projetos Empresariais do IEL de São Paulo, Ricardo Penzin. Ouça o que ele diz: 

Penzin explica que no caso da Bosch, empresa-âncora, o IEL oferece treinamento de gestão financeira e liderança para 25 fornecedores da multinacional. Na outra ponta, a Bosch repassa aos fornecedores conhecimentos em manufatura. Os participantes do programa também são indicados pela empresa. 

BOSCH – A parceria da empresa alemã com o IEL começou em 2013, mas há mais de 10 anos a Bosch atua no desenvolvimento de fornecedores. “O programa em que unimos a prática do IEL com a prática da Bosch está focado no desenvolvimento e fortalecimento de fornecedores que já possuem maturidade. Visa a otimização do estágio atual deles”, afirma o gerente de Desenvolvimento de Fornecedores Automotivos da Bosch, Jefferson de Almeida. 

Almeida ressalta que esse tipo de trabalho tem um retorno importante. “Mais competitividade não apenas da Bosch, mas dos principais parceiros. O resultado final é o fortalecimento da cadeia produtiva como um todo”, diz. Ele explica ainda que a Bosch busca auxiliar na performance dos fornecedores, de acordo com a realidade de cada um. Ouça:

SAIBA MAIS – O Programa de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores já capacitou 903 empresas fornecedoras e trabalhou com 103 empresas-âncora. Confira a relação dos participantes na página do PQF na internet 

Para participar, basta procurar um dos núcleos regionais do IEL nos estados do Acre, Amazonas, Bahia, Rondônia, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Pará, Goiás, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Sergipe, Tocantins, Ceará, Espírito Santo e Pernambuco. A implantação do PQF nos demais estados está em fase de planejamento.

Relacionadas

Leia mais

Projeto do SENAI-DF foi um dos destaques do Sistema Indústria na imprensa entre os dias 9 e 15 de janeiro
Definida a equipe que representará o Brasil na competição mundial de profissões técnicas
CNI lança publicações para promover uso eficiente de água no setor industrial

Comentários

betsson Mapa do site